DICAS ÚTEIS

 

 

 

Menu de acesso rápido

PEÇAS E ACESSÓRIOS: UMA NECESSIDADE

O TRICÔ A MÁQUINA VALE A PENA ?

 

USE A INTERNET PARA FACILITAR SEU TRICÔ

COMO TECER MUITO SEM TANTO CANSAÇO

 

TENHA UM ENROLADOR ELÉTRICO PARA CONES

 

 

 

 

 

 

 

O TRICÔ A MÁQUINA VALE A PENA?

 

Desde que compramos nossa máquina, sonhamos com o dia em que poderemos tirar dela um pouco de lucratividade, seja para o nosso sustento direto ou para ajudar no orçamento doméstico.

 

Há, claro, as pessoas que preferem pensar na máquina de tricô como um hobby, uma distração. Mas a grande maioria pensa a atividade de tricoteira como uma alternativa produtiva.

 

Analisaremos este aspecto, portanto.

 

TricoteiraAs etapas:

 

Como em qualquer outra atividade, existem etapas que precisam ser vencidas para que possamos realizar os nossos sonhos.

A primeira delas é ter a máquina; pesquisar, escolher o modelo adequado, os acessórios necessários.

 

A segunda etapa é aprender a usá-la (manejo); essa etapa é importantíssima: vale a pena perder tempo, nela.

Conhecer bem a máquina, entender como funciona, o que são e para que servem todos os botões e alavancas é decisivo para o seu sucesso: quanto melhor souber utilizar os recursos que a máquina oferece, melhor será a qualidade do seu trabalho.

 

A terceira etapa é extremamente prazeirosa: aprender a confeccionar, na máquina, roupas bonitas e bem feitas que agradem a você a às clientes que pretende ter.

 

O quarto passo é o decisivo: planejar (horário de trabalho, divulgação, etc), organizar-se (tornar agradável o local do seu trabalho, estipular seu estoque de fios, etc).

 


 

Os tipos de tricô:

 

Assim como existe o tricô à máquina e o tricô à mão, existe também o tricô industrial, o comercial e o artístico.

 

O tricô INDUSTRIAL é aquele onde a malha é tecida reta (como um tecido) e depois cortada e costurada em máquinas apropriadas (interlocks, overlocks, remalhadeiras, etc). Neste item encaixam-se as grandes malharias e todas as pessoas que costumam fechar suas peças com o uso de overlocks (por exemplo).

 

O tricô ARTÍSTICO, como já dá para imaginar, é o mais trabalhoso. Pode ser feito à mão ou à máquina.

Nesse item entram as roupas super trabalhosas, aquelas que você só tece uma ou duas vezes (para uso próprio, normalmente).

 

A máquina de tricô permite que sejam feitas peças realmente artísticas.

Entretanto, a produção delas é demorada, complexa e, por isso, não é uma produção lucrativa.

Requer grande técnica por parte da tricoteira; normalmente é feito, com sucesso, apenas por tricoteiras muito experientes.

 

O tricô COMERCIAL é o que você pode, e deve, fazer com a máquina de tricô: são as peças que você tece com bom gosto mas de maneira menos complexa.

São bem feitas, nos padrões de tamanho comuns ao mercado (estilo P-M-G, por exemplo), bem acabadas, bonitas e de excelente aceitação pela clientela, razão pela qual dão um bom retorno financeiro.

 

São deste item as principais roupas ensinadas no nosso curso (veja o item CURSOS).

 

Se você pretende que sua máquina de tricô lhe dê boa lucratividade, deve ater-se ao tricô comercial, o que não impede que você teça, de vez em quando, uma ou outra peça artística.

 


A produção:

 

Uma tricoteira, SOZINHA, é capaz de produzir PELO MENOS duas peças prontas por dia, trabalhando meio expediente (por exemplo: só à tarde); mas é possível tecer até 4 peças/dia, completas (nesse caso com alguma ajuda).

 

Estamos considerando esse cálculo em peças de médio consumo de tempo. Se tecer peças rápidas, como o são as calças compridas e as saias, essa produtividade aumenta consideravelmente.

Imaginando que você produza apenas DUAS peças por dia, e considerando apenas 24 dias úteis no mês, isso resulta numa produção de 48 peças mensais. Se você tecer 3 peças por dia, sua produção será de 72 peças ao mês.

 

Se tecer 4 peças/dia chegará a 96 peças por mês. Note que para tecer 4 peças ao dia você vai precisar de uma ajudante (para costuras e acabamentos).

 

 

LucroA lucratividade:

 

Naturalmente cada peça tem sua margem de lucro: uma BLUSA dá um lucro, uma MEIA outro e uma CALÇA COMPRIDA outro ainda.

Mas, apenas a título de imaginação, para facilitar nosso cálculo, pense num lucro líquido médio de R$ 30,00 (normalmente esse lucro é maior), em cada peça tecida.

 

IMPORTANTE:

note que estamos falando de lucro líquido, ou seja, já deduzidos os custos com fio, elásticos, botões, energia elétrica, etc., etc..

Lucro é o que realmente se ganha numa atividade: então é o que recebemos MENOS o que gastamos. Isso é lucro líquido.

 

Tecendo 48 peças mês, seu lucro será de R$ 1.440,00. Tecendo 72 peças atingirá R$ 2.160,00 e tecendo 96 poderá ter uma renda de R$ 2.880,00.

 

Se o seu lucro médio for de R$ 32,00 por peça, 48 peças/mês podem lhe dar um rendimento limpo de R$ 1.536,00; 72 peças dariam R$ 2.304,00 e 96 peças resultariam em R$ 3.072,00.

 

Note, portanto, que não se pode minimizar (desprezar, menosprezar) o lucro individual de uma peça e muito menos pequenas diferenças de R$ 2,00 ou R$ 3,00 no rendimento.

 

No conjunto das peças/mês o rendimento do tricô a máquina é bastante interessante.

 


O sistema de trabalho:

 

Se você visa uma boa lucratividade, deve evitar trabalhar muito por encomenda; melhor trabalhar com estoques.

 

Quando uma cliente lhe pede uma roupa por encomenda, ela tem na cabeça uma ideia exata daquilo que quer. Se a sua roupa não ficar do jeito que imaginou, ela ficará levemente decepcionada, mesmo que fique com a roupa que você produziu.

Da próxima vez ela vai ficar em dúvida sobre fazer uma nova encomenda ou não. Mas se você tiver um estoque de roupas prontas, sua cliente vai VER a roupa antes de comprar, como numa loja. Vai vestir (provar) e, servindo, você terá a satisfação da sua cliente que acabará voltando, dentro de algum tempo, para nova compra.

Existe, ainda, a possibilidade dela ficar em dúvida entre duas ou três peças e acabar levando mais peças do que o previsto.

 

Procure diversificar seu estoque no que diz respeito a tamanhos e a tipos de roupa: tenha saias, calças, blusões, blusas, meias, etc., nos principais tamanhos (dependendo do seu mercado). Se trabalhar dirigida às crianças, certamente os tamanhos 2-4-6 poderão ser os de melhor venda; se trabalhar para adultos, logicamente os tamanhos P-M-G serão os de melhor saida.

 

 

Mercado:Mercado

 

Analise o mercado próximo a você: se você for uma enfermeira, por exemplo, certamente conhece muitas outras enfermeiras, médicos e médicas. Logo, e como essas pessoas usam roupas brancas, pode ser interessante ter um bom estoque de meias, calças compridas, blusões e coletes brancos.

 

Se você for escriturária, secretária ou balconista, por exemplo, conhece pessoas de sua atividade e sabe que elas precisam de roupas práticas que combinem entre si, como saias, blusas, casaquinhos, coletes.

 

Se você tem uma filha adolescente, sabe que as amiguinhas dela gostam de shorts mais curtinhos, mini-saias, tops, meiões, etc.

As donas de casa têm um mercado amplo porque podem atender às professoras da escola dos filhos, às amigas, às vizinhas, etc..

Baseada no seu mercado, procure planejar bem o seu estoque de roupas prontas.

 


DIVULGAÇÃO:

 

Você e todos de sua família podem colaborar muito na divulgação (propaganda) dos seus tricôs.

Faça roupas super bonitas, caprichadas, para seus filhos, para seu marido, para você e para todos os demais membros da família.

 

Faça-as do mesmo tipo das que pretende vender (tricô comercial), ou seja, não utilize o tricô artístico pois não é ele que pretende vender.

 

Tenha sempre à mão, prontas, peças que você e os seus possam dar como presente (aniversário, amigo invisível, etc): meias, luvas, toucas de motoqueiro, tops, cigarreiras, bolsas. Coloque pequenos cartões, nessas peças, com seu nome e telefone, assim: "feito por Tânia - 1234-5678".

 

Esses presentes vão divulgar muito o seu trabalho.

 

Divulgação

 

 

Se você tem Facebook, por exemplo, divulgue sua atividade e seus trabalhos.


Facebok E, claro, curta TRICOCURSOS no Facebook:

 


O tricô sob medida:

 

Note que em nenhum momento consideramos a maneira antiga de tricotar, onde se tomariam as medidas de cada cliente; cada peça imaginada seria inteiramente calculada.

Muitas pessoas levam mais tempo com cálculos e amostras e medidas do que própriamente produzindo a peça.

 

As máquinas de tricô são muito mais ágeis e rápidas do que esse sistema. Imagine você mesma entrando numa loja; a vendedora toma suas medidas, remete-as para a fábrica e você terá que voltar em "X" dias para buscar sua roupa. Isso, calculado para todos os consumidores, tornaria impossível a produção de qualquer empresa, com custos tão elevados que não haveria lucro algum.

 

Fita


A mesma coisa com o seu tricô. Trabalhar só sob medida não é lucrativo, é extremamente desgastante e inviabiliza a atividade quando se espera lucro.

Por isso nos preocupamos em ensinar um tricô ágil, prático, útil, que permita a você produzir um bom estoque de peças, dentro dos padrões normais de tamanho (P-M-G, etc), modelagem (moda) e acabamento.

 

Nos preocupamos tanto em dar a você opções para agilizar o aproveitamento de sua máquina que disponibilizamos, ao final do curso, um sistema próprio, exclusivo, para cálculo instantâneo de esquemas (on-line), chamado ESQUEMA INSTANTÂNEO. Para que você não perca tempo e possa até mesmo fazer, aqui e ali, peças sob medida, TENDO LUCRO.

 

Você deve poder utilizar o potencial e a capacidade de produção da sua máquina como uma excelente fonte de renda.


 

 

 

PEÇAS E ACESSÓRIOS: UMA NECESSIDADE.

 

 

Se temos uma máquina de tricô, sempre podemos precisar de peças: é uma agulha que precisa ser trocada, uma antena do tensor que quebrou, um transportador que partiu-se e precisa ser substituido "já" ou um Manual de Instruções que você não acha mais ou não veio com sua máquina, etc.

 

Se este for o seu caso, agora você pode ver preços, encomendar, comprar e receber em casa, pelo correio, todo e qualquer acessório que precisar.

 

Correio

Em tempos de modernidade, ter um fornecedor ao alcance do seu computador é importantíssimo.

 

 


 

Os acessórios citados são os mais comuns mas, se desejar, o sistema de compras virtuais inclui até mesmo mesas, fronturas, máquinas novas, tensores completos, jogos originais de cartelas, etc.

 

Se desejar consultar ou adquirir alguma peça/acessório, procure uma Loja revendedora de máquinas de tricô ou uma Assistência Técnica (veja a página Assistências Técnicas); algumas lojas de fios também fornecem peças e pequenos acessórios (veja o item FIOS, onde listamos algumas dessas lojas).

pacote

As lojas e assistências que constam hoje da Internet, enviam peças, acessórios e até máquinas completas para qualquer cidade brasileira.

 


 

 

 

USE A INTERNET PARA FACILITAR O SEU TRICÔ.

 

Como seria prático se todas as pessoas que tricotam tivessem à mão, ao menos em suas cidades, uma ou duas boas lojas de fios.

Nos grandes centros e em cidades de porte médio isso é comum e o abastecimento de fios e peças para a máquina de tricô é "tranquilo".

Mas para quem reside em cidades menores, ou em regiões distantes, a realidade é outra: têm grande carência de lojas especializadas que distribuam variedade de cores dos principais fios utilizados nas máquinas de tricô.

 

Se este for o seu caso, dê um uso prático à Internet que você acessa: mais do que fazer seu curso tranquilamente, recebendo suas apostilas em casa, estudando e praticando com calma na sua máquina e no conforto da sua casa, escolha e compre fios e peças pela Internet.

 

Fios: a Internet está aí para facilitar a sua vida, não importando em que cidade ou estado você esteja: vá ao item CORES DE FIOS, escolha a marca, o tipo de fio e as cores desejadas; anote.

Depois contate um revendedor - veja no item FIOS - Lojas as que remetem fios para qualquer cidade brasileira.

 

 


 

Contate o que lhe parecer mais conveniente, por telefone ou e-mail, veja preços, formas de pagamento. Poderá receber ótimos fios, nas cores desejadas, via correio.

 

Assim como TRICOCURSOS, as lojas tradicionais (de Fios, máquinas e acessórios) estão há anos no mercado (desde antes da Internet existir) e têm elevado conceito de confiança e credibilidade.

 

Acessórios e peças para sua máquina: veja, no item ACESSÓRIOS os que a interessam. Contate uma Loja Revendedora de máquinas de tricô ou uma Assistência técnica e receba, via correio, o acessório ou a peça desejada.

 

Use a Internet como uma ótima ferramenta de auxílio ao seu trabalho. Principalmente se você reside longe dos grandes centros urbanos.

Quem tricota precisa poder contar com fornecedores ágeis, de peças e de fios, e que ofereçam os produtos que você necessita.

Com a Internet, o endereço físico deixou de ser importante; logo, use essa modernidade como importante auxiliar - ou solução - para seu trabalho de tricoteira.


 

 

COMO TECER MUITO SEM TANTO CANSAÇO

 

A primeira coisa que uma tricoteira deve saber, claro, é cuidar de si mesma.

Estar bem; evitar estragar sua saúde, cuidar para que seu corpo não seja prejudicado por sua atividade de tricoteira.

Tem que saber como usar a máquina de tricô sem acabar com os músculos dos braços, dos ombros e das costas.

Tricotar sem uma postura correta provoca enorme cansaço.

 

Se um automóvel "pifa", você já percebeu que as pessoas o EMPURRAM?? Por que será que elas não PUXAM o automóvel? Será que não seria mais prático?

 

Vejamos, a grosso modo, uma das razões:

quando você EMPURRA um automóvel, você usa o seu próprio peso corporal a favor do ato de empurrar. Normalmente encostamos o corpo no carro e o inclinamos para frente, numa posição que facilite o ato de empurrar, exatamente para acrescentarmos a força do nosso PESO ao movimento de empurrar.

 

Empurrar

 

Se você for PUXAR um automóvel, terá que puxar DUAS coisas: o automóvel e o SEU próprio corpo também. Por isso o ato de puxar é mais difícil e mais cansativo do que o ato de empurrar.

 

Na máquina de tricô, use dessa mesma lógica para diminuir sensivelmente o cansaço. Sente-se exatamente de frente para o centro do trabalho que está tricotando e coloque as DUAS mãos sobre o carrinho da máquina.

Isso já vai obrigá-la a sentar-se ereta, com os dois ombros na mesma posição; essa posição dimini o esforço sobre sua coluna. Como você vai fazer movimentos laterais, ou seja, para os lados, precisará de apoio para isso. Deve posicionar as pernas levemente afastadas de forma a que elas sirvam de apoio a este movimento lateral.

 

Ao tecer da DIREITA para a esquerda, empurre o(s) carrinho(s) da máquina com mão direita. A mão esquerda fica no carrinho mas está, quieta, descansando. Ela vai junto com o carrinho, quietinha, sem fazer qualquer movimento ou esforço. Não a retire do carrinho, de jeito algum!!!!

 


 

Ao tecer da ESQUERDA para a direita, empurre o(s) carrinho(s) da máquina(/frontura) com a mão esquerda. Agora a mão direita é que vai descansar e ser levada pelo carrinho. Assim, amiga, seus braços nunca precisarão fazer o movimento de PUXAR o carrinho.

 

Evite, de todas as formas, puxar o carrinho. É o puxar que mais prejudica seu corpo (ombros, braço, costas, etc.).

 

No início você vai estranhar muito essa posição e estes movimentos. Certamente terá mesmo que se habituar à nova posição. Entretanto, uma vez habituada você não conseguirá mais tecer de outra forma.

 

Além disso, o correto posicionamento fará BEM ao seu organismo e você se sentirá mais disposta e muito menos cansada depois de horas de trabalho.

 

Procure fazer intervalos de 5 minutos a cada meia-hora/45 minutos de trabalho.

Levante-se, organize seus fios, tome um café, caminhe pela casa, faça uma costura de acabamento; mas dê 5 minutinhos de folga às suas costas e braços que, certamente, lhe serão muito agradecidos....

 

Se você puder, procure ter uma cadeira dessas de escritório, com rodinhas. Assim, sempre que precisar ir até a extremidade do trabalho para diminuir, aumentar ou arrematar alguns pontos, poderá "ir" com a cadeira junto, evitando inclinar-se, num verdadeiro contorcionismo (o que faz muito mal).

 

CadeiraOu então use DUAS (ou três) cadeiras, uma ao lado da outra, o que lhe permitirá escorregar de uma para a outra, facilitando seu acesso às extremidades do trabalho.

 

Comprar uma máquina de tricô nova é fácil; mas músculos e nervos novos.... é impossível! Logo, cuide bem dos que você tem, proteja-os e ajude-os. Tricotar NÃO faz mal, desde que feito da maneira certa.

 

Bom trabalho!


 

 

TENHA UM ENROLADOR ELÉTRICO PARA CONES.



 

Quando tricotamos é inevitável que tenhamos que enrolar fios: se você adquire um cone de fio industrial, por exemplo, pode desejar fracioná-lo, dividi-lo em mais outros 2 para poder tecer utilizando os 3 fios juntos.

 

Aliás, é absolutamente incorreto, e problemático, enrolar 3 fios industriais juntos, num único cone, para depois utilizar esse produto no tecer.

Vão ocorrer bolhas de fio, excessos desigualmente distribuídos causando maçarocas, falhas no trabalho ou o engate do fio nas escovas do carrinho, nos ganchos de topo, etc.

 

SEMPRE use 3 unidades (ou cones ou novelinhos feitos no enrolador manual) de fio industrial separadas; junte os 3 fios na hora de tecer, puxando-os juntos no momento de tecer. Melhor ainda é colocar dois fios num tensor e um no outro (para quem usa o tensor normal da máquina) ou um fio em cada tensor (para quem usa o tensor do trocador de cores), unindo-os somente na ponta da "antena", de onde eles seguem, juntos, para o carrinho.

 

Enrolar uma grande quantidade de fio industrial utilizando o enrolador manual é demorado e cansativo. Perde-se tempo, um tempo precioso em que poderiamos estar tricotando uma peça qualquer.

 

Logo, ter um enrolador elétrico pode ser extremamente prático e tão importante quanto a frontura, o transferidor automático de pontos, etc.

 

Existem enroladores para grande produção: enrolam um cone em formato industrial. E existem enroladores para a produção normal das máquinas domésticas.

Naturalmente que há uma grande diferença de preço entre eles e recomendamos uma pesquisa a respeito.


 

Um enrolador maior é chamado Conicaleira (máquina para utilização industrial ou semi-industrial).

 

Um enrolador elétrico para utilização doméstica (mas que também enrola EM CONES) é super mais em conta.

O preço compete com o do enrolador manual e é muito mais prático e útil.

 

enrolador elétrico de fios

 

O investimento pode ser interessante. Você terá seus fios muito melhor organizados, com nenhuma perda (os novelinhos enrolados manualmente acabam dando perda de fio), sem cansaços desnecessários, com ganho de tempo e ganho de qualidade no trabalho.

 

Guarde todos os cones vazios que puder; um dia você precisará deles para o seu enrolador elétrico de fios.

 

 

topo topo