TRICOCURSOS - Tricô a Máquina TRICOCURSOS - Tricô a Máquina

EDITORIAIS ANTERIORES

 

 

 

EQUILÍBRIO

Estamos vivendo, no Brasil, um dos mais quentes verões da história. A imprensa diz que "desde 1937" não se viam temperaturas tão elevadas.


Opa! 1937? Mas então já tivemos períodos mais quentes com muito menos gente sobre o planeta?

Sim, o aquecimento global é uma teoria que tem sua lógica, concordamos. Mas não é isso que queremos comentar.

 

O que nos chama a atenção é que desde esse calor extremo de 1937, o frio, o inverno e as nossas necessidades de aquecimento NÃO DEIXARAM DE EXISTIR.

 


De 1937 para cá, tivemos invernos fracos e invernos fortíssimos. O tricô se tornou ainda mais forte na história da moda, no dia a dia de praticidade e conforto e principalmente na necessidade humana de se proteger das temperaturas (seja do calor ou do frio).

 

Lembremos que, enquanto vivemos aqui sob o signo do ar condicionado, torrando os pulmões com ar quente e abafado, tremendo o olhar com o calor que exala do asfalto, milhares de seres humanos ainda estão vivendo ondas de frio inacreditáveis com temperaturas que beiram os 20, 30 e até 50 graus NEGATIVOS.

 

São ondas de frio, note bem, tão fortes quanto o nosso calor.

 

Chicago
Clique na imagem acima e leia a matéria sobre o frio em Chicago no MESMO período do nosso calorão (final de Janeiro/início de Fevereiro de 2014) quando a temperatura chegou a incríveis 50 graus NEGATIVOS.

 

Fevereiro/ 2014

calorão

Onda de calor histórica entrando no Brasil do final de Janeiro a meados de Fevereiro de 2014.

 

É como se a natureza buscasse o equilíbrio: frio lá, calor aqui; enchentes aqui, seca ali.

Entenda o AQUI e o ALI como sendo retórico, ou seja, isso vale para qualquer lugar do mundo: enchentes na Ásia, seca na África; água demais no sul do Brasil, seca severa no nordeste brasileiro, por exemplo..

 

Isso nos faz entender que a natureza se defende dos desiquilíbrios eventuais. É senhora do clima: se exagera lá, exagera aqui como se quisesse compensar a si mesma para manter-se forte e equlibrada.


Sempre teremos frio. Haja o que houver, em algum momento do ano ele vai nos obrigar à proteção mais que perfeita de um trico quentinho; ou vai nos fazer agradecer aos céus por um tricô rendado fresquíssimo e gostoso de usar em tempos de temperaturas acalorantes.

 

E há muito a proteger: a nós próprias, aos nossos filhos, netos, familiares. Além deles, para quem for apaixonada pela máquina de tricô, temos as clientes, é claro.
Se amamos tricotar nas nossas máquinas (e que tricoteira não é uma apaixonada??), torna-se uma necessidade absoluta começar a tricotar para amigas, amigas de amigas, primas, primas das primas, etc., etc. Até porque.... onde guardar todo o tricô que queremos fazer, que desejamos criar? Como guardar, e usar, tudo o que podemos produzir nessas fantásticas máquinas?

 

Então as clientes são uma consequência e uma necessidade. São também uma questão de equilíbrio: produzir peças únicas, bem feitas, lindas, certas, e que nos enchem de orgulho ("fui eu quem fez isso!!!") vai nos trazer sempre a compensação financeira (sim!) mas principalmente a gratificante sensação de que somos capazes. Haja o calor que houver, seja frio o quanto a natureza quiser, nosso tricô estará sempre pronto a equilibrar proteção, capricho, bom gosto e elegância.


 

 

Renovação

Quando chegamos ao final de uma tarefa, ou de período de tempo, sofremos uma avalanche de ideias para colocar em prática: mudanças, novidades, novas metas. Assim, ao final do ano letivo os jovens já pensam nas aulas do ano seguinte, novos cadernos, novas espectativas, novos amigos. Quando saímos de uma situação de doença e nos recuperamos bem, novos conceitos, planos e objetivos automaticamente surgem.

Quando perdemos o emprego nos impomos nova forma de controlar despesas, compramos produtos diferentes, suspendemos compras de maior vulto. Nessas situações todas nós fazemos novos planos, um novo planejamento.

Feliz de quem utilizar essas oportunidades para, além de tudo o que citamos, SE RECICLAR. Renovar ideias, providenciar melhorias reais, aprender, aprimorar, pesquisar.

 

calor

Depois de férias, viagens, praia, festas, etc, quando planejamos retomar uma atividade como é o tricô a máquina, é preciso RENOVAR o estoque de matérias primas, as noções sobre a moda e conhecer a tendência para as próximas estações e as cores que serão fortes,

É preciso pesquisar muito por boas ideias, dicas, modelos, detalhes, cartelas, desenhos.

 

É preciso entender que a mesmice não é lucrativa em NENHUMA atividade. Imagine cozinhar todos os dias os mesmos pratos, comer a mesma comida sempre, usar a mesma roupa.

Ninguém gosta disso, correto?
A vida ficará muito melhor se você usar criatividade na cozinha, variar o visual mudando roupas, cabelo, maquiagem, sapato, etc....

 

No caso do tricô a máquina, é preciso renovar conceitos de modelagem, acabamento, variações na malha.

Como o tempo "voa", o ideal é fazer essa renovação/reorganização da atividade de tricoteira em períodos nos quais temos mais tempo livre para isso: o início de ano é perfeito pois já produzimos e entregamos as roupas de verão, os presentes (tricotados) já foram entregues, as festas já passaram.

Então Janeiro é o mes perfeito.

Você vai pesar seus fios, separar os que já não são suficientes para uma roupa inteira (ficam para compor listrados ou desenhos geométricos).

frio

A partir disso, você vai poder decidir quanto precisa adquirir para recompor seu estoque de fios; vai escolher as cores (atenção para as tendências de moda!!), vai pesquisar e decidir a modelagem adequada para o momento (ampla, comprida, com punho ou sem, tipo de decote ou gola, etc).

Você pode, e deve, organizar as anotações que tiver feito de cada cliente (caixas são ótimas para você criar um bom fichário): registre o que ela comprou, que cores eram essas peças, como pagou.

organizador

Anote se ela demonstrou gostar de cachecóis, ou só de meias (por exemplo). E o importante: o tamanho dela (P-M-G-GG) e sua atividade (se trabalha fora, se é artesã, se é apenas dona de casa, se é enfermeira, médica, professora, etc). Com base nisso você pode planejar tricotar peças que possam interessar (fortemente) suas clientes. E ter o que a agrada, no tamanho que ela usa, é meia venda feita.

Se você quiser aproveitar esse ótimo período para aprender, ou complementar seus conhecimentos, este é o momento certo. Aliás, estamos aqui para ajudá-la. Ensinar tricô é nossa paixão e estamos sempre nos renovando para facilitar a que você possa ter conhecimentos, ideias, orientação e apoio na sua atividade de tricoteira.

 

Pense, planeje, se organize. Tenha um ótimo 2014 e que seja um ano perfeito para o seu tricô a máquina.



backVOLTAR AO TOPO


 

 

Invernos

Não há qualquer dúvida de que o clima da terra está mudando. Desde que o planeta existe, e até que desapareça, o clima estará em constante mudança. Isso é da natureza, é da vida. Nada é eterno, nem mesmo nosso planeta ou o nosso sol.

É sabido que a Terra já viveu grandes congelamentos (eras glaciais), assim como já viveu tempos mais quentes.

Imagine que a galáxia tenha também outono, inverno, primavera e verão. Cada estação dessas teria, na nossa contagem de tempo, milhares ou até milhões de anos. Então agora estaríamos em uma meia-estação, algo como primavera ou outono.
Alguns cientistas acham que estamos indo para uma nova era glacial (estaríamos então no outono da Terra) mas muitos outros acham que estamos numa primavera planetária, indo para um tórrido verão.
Na verdade, ninguém tem essa resposta ainda.


calor

O fato é que, como em qualquer outono ou primavera, as oscilações do clima são, algumas vezes, inesperadas e, em outras, assustadoras.
Nosso clima teve invernos suaves mas também, como nesse ano, frio mais intenso do que se tem visto há vários anos e até há décadas. Então não se pode dizer que não temos mais invernos. E não se pode dizer que o próximo não possa ser ainda mais frio do que foi o de 2013.

Uma das grandes características do clima "em mudança" são justamente os extremos: frio mais frio que o normal e o calor... ainda mais quente que o habitual.
Para o calor, claro, temos experiência e noção de como sobreviver. Para o frio só temos uma alternativa: entender que precisamos MESMO de proteção, cuidados, atenção.

Frio abaixo do que estamos habituados a ver nos termômetros, como tivemos nos dias de pico do inverno 2013, nos diz que o tricô que você faz, ou pode fazer, é da MAIOR importância. Isso envolve a saúde dos filhos, pais, idosos, amigos; também a de clientes para quem você forneça roupas de tricô.

Note que estamos falando de tricô em geral mas, se você tem uma máquina de tricô, então você é ainda mais privilegiada; como sempre dizemos, ela é uma fábrica de roupas - e de proteção, abrigo, saúde.

Sempre haverá inverno, e talvez alguns, ou muitos, com imenso declínio de temperatura. Lembre-se que quanto mais o clima mudar, seja no sentido do aquecimento ou do resfriamento, maior será a possibilidade de frios extremos, violentos e perigosos.

frio

O tricô de verão, maravilhosamente cheio de furinhos, ventilação deliciosa para a pele pelo centro de cada ponto (sem contar a maravilha do tricô rendado), é lindo e prático.
Quem faz, tem e usa uma vez, não vive sem.
Tricô de verão é uma descoberta e a moda mundial está refletindo isso nos desfiles das mais importantes passarelas.

Mas o tricô de inverno é ESSENCIAL, impossível não ter. Isso é mercado, isso é necessidade, isso é possibilidade de renda. Use sua máquina de tricô. Estude o tricô de verão, tente, tricote-o, use-o, delicie-se.
Estude. Seja como for, seja onde for, ESTUDE O TRICÔ (se precisar, podemos ajudá-la nisso). Você vai ganhar segurança, vai descobrir que sua máquina de tricô é fan-tás-ti-ca e vai entender que você pode ser, sim, uma profissional de moda, criando, fazendo roupas surpreendentes tanto de inverno quanto de verão. Tudo depende só de você.



backVOLTAR AO TOPO


 

 

 

Estoque de fios

A moda vinha sinalizando, avisando, mostrando, dando a entender. Ninguém pode dizer que não sabia, ninguém pode negar que não tenha sido avisado.

A moda pegou. O tricô instalou-se com força, e tanta e tão forte que, certamente, há de influenciar o verão, como já se vê nos comentários de moda.


Mas o tricô produzido nas máquinas "domésticas" não tem a mesma pressa do tricô industrial que já nem liga mais para o momento invernal e se volta ao colorido acalorado dos desfiles de verão.
Nós, tricoteiras, temos o privilégio de fazermos moda na hora exata da moda. Tecemos aqui e agora, podemos abastecer o mercado quando as indústrias já estão se preparando para o verão.

Temos a imensa vantagem de podermos matar o frio de quem, como sempre acontece, deixa para comprar sua roupa no durante do inverno e, muitas vezes, já não encontra mais o que necessita.


Mas...... quando o frio ajuda e a moda colabora, toda a sua chance de lucro pode ir "neve abaixo" se você não tiver... fio!

Estoque de fio é a caderneta de poupança da tricoteira.

 

estoque

É o investimento de maior lucratividade do mercado financeiro: você compra 1 quilo de fio por 25 (digamos), produz de duas a três peças com esse fio e vende cada uma delas por 40,00 (falemos de valores MÍNIMOS).

Que investimento financeiro lhe daria esse lucro?? Transformar R$ 25,00 em 3 blusas de R$ 40,00 resulta em R$ 120,00. Pense nisso!

 

Em qualquer loja de fios pode faltar preto, pode faltar branco, pode faltar roxo; mas não na SUA PRATELEIRA!

Estoque de fios é a segurança da tricoteira: se ela souber manter seu estoque de fios, jamais lhe faltará qualquer cor!

E isso ajuda a conquistar o mercado: se as pessoas querem roupas em roxo e ninguém mais tem, as SUA cliente vai saber que você é prevenida, organizada, cuidadosa e antenada com as tendências de cor.

 

Estoque de fios é a certeza de não ter prejuízos; você não perderá clientes por falta de matéria prima para produzir

 

É saber que você terá a roupa na cor que a sua cliente "mais gosta"; se você tiver, naturalmente, o cuidado de manter um registro das preferências de cada cliente.


Estoque de fios é a tranquilidade de que, mesmo não usando tudo, não haverá prejuízo algum: não estraga, não deteriora, não evapora, não se perde! Você continua tendo o seu dinheiro ali, em forma de um produto que vai gerar outro produto de maior valor.

 

Estoque de fio é economia de tempo e de dinheiro: imagine o que é sair à rua para comprar, a cada roupa vendida, mais "300 gramas" de fio para repor a matéria prima daquela venda. E quem pagará o tempo em que você estiver fora do seu trabalho, deixando de produzir outras peças, deixando de faturar? 2 horas significam praticamente 1 blusa para quem tricota habitualmente.

Mesmo que significassem apenas 1 par de meias, é lucro que você deixa de ter.

 

Estoque de fios é tranquilidade: mantendo seu estoque, e até ampliando-o a cada ano, você nunca precisará gastar um volume maior de dinheiro de uma vez só.

Repondo o fio gasto periodicamente (a cada 30 ou 60 dias), seu estoque estará sempre atualizado.

 

Conscientize-se, por favor, que o sucesso da alta temporada de faturamento depende exclusivamente do seu estoque de fios.

De nada adianta boa vontade, conhecimento, tempo, frio, moda favorável, se você não tiver fio disponível para exercer sua criatividade (cores variadas), atender às preferências da sua clientela (cores preferidas pelas clientes) e abastecer o seu mercado durante todo o tempo.

 

Não deixe que o seu faturamento e o seu lucro fiquem "por um fio" distantes do sucesso.

 

Estoque é a palavra chave, senhora tricoteira!



backVOLTAR AO TOPO


 

 

Fórmula tricô

O outono se espreguiça sem pressa. O planeta muda de posição lentamente como se não quisesse nos afastar do sol. Mas a natureza, soberana absoluta da sua trajetória, faz os ares gélidos se anunciarem em sopros noturnos que já arrepiam a pele.
Tudo parece no seu lugar e sabemos, todos, que o frio já "bate à porta".

 

Quando as fábricas nacionais já pesquisam novas coleções, muitas tricoteiras começam a preparar-se para o inverno.
E salve-se quem puder! Sem estoques preparados para vender no bom momento do frio, elas largam em último lugar, atropelam-se em balcões atrás de fio, desesperam-se ao menor sol mais mal- humorado e pilotam suas máquinas com a ânsia de quem precisa vencer a corrida do inverno.

 

pista

 

Estão sempre começando depois, correndo atrás do tempo, que não vencem, que não rende, que não resulta em nada. É uma corrida sem concorrentes: têm a certeza da derrota.

 

Que beleza olhar as primeiras da fila, aquelas que largaram antes. São as que conhecem os caminhos, que organizam seus estoques, que estudam antes, bem antes....!

Que sabem o que fazem, que sabem planejar, tecer com lógica, conhecimento, técnica!

Que conhecem seus limites (de tempo, por exemplo), que conhecem o seu mercado (o que suas clientes gostam).

 

Podem tecer antes (estoque), fazer bem feito, com capricho, com acabamento impecável, com bom gosto e carinho. Podem se dar ao luxo de bordar algumas peças diferenciadas, podem gastar algum tempo a mais em desenhos atuais e bem planejados.

 

Essas, as que largam na frente, permanecem na frente durante todo o percurso! São as que vencem, que ganham as clientes, que ostentam o troféu do lucro!

trofeu
vencedora

São aquelas tricoteiras que não vendem apenas roupas para o frio, vendem moda, vendem um tricô de qualidade, bem feito, bonito, que todo mundo quer ter para quando o frio chegar.


É absolutamente diferente isso: a cliente compra porque quer estar bem vestida no frio; ela não precisa comprar porque o frio chegou e ela não tem o que usar.
Essas últimas podem comprar roupas de fabricação massificada porque querem apenas se proteger do frio. A tricoteira preparada vende elegância, vende qualidade, vende charme, vende proteção às alterações do clima.

 

Que beleza olhar para aquelas que decidem sinceramente começar; que arregaçam as mangas com determinação e coragem, que lêem, que pesquisam a moda, que procuram qualidade, técnica; que treinam, que estudam, que questionam, que não se prendem só ao momento atual do clima; inverno teremos todos os anos.

ão se atiram à perpectiva imediata da estação como quem precisa se justificar perante Deus. Tricotam para o sempre, não somente para agora.


Aprendem, estudam, treinam, se aperfeiçoam como o piloto que inicia sua carreira: kart, prática, treino, carros, mais prática e mais treinos, segundo piloto, treinamento intenso, e lá adiante a Fórmula 1, com muito treino, erros, acertos e, enfim, grandes vitórias.

 

É tempo de tricô, de muito tricô. Agora, amanhã, no próximo verão, em todos os invernos.

Planeje sua corrida, onde quer chegar, COMO chegar. O sucesso, a realização pessoal, a satisfação, o lucro, o orgulho de fazer o tricô que você sonhou e pode fazer, formam a mais gratificante das vitórias.

Você, e só você, pode decidir onde o seu tricô vai estar, para sempre; no time das que vivem na derrota ou naquele que vai estar no mais alto degrau dessa conquista, onde estão as vencedoras da Fórmula Tricô.



backVOLTAR AO TOPO