MUSEU - nacional


 
Antonio Pieroni foi o grande divulgador das máquinas de tricô, no Brasil. Trouxe a primeira da Itália; divulgou e vendeu mámáquinas por todo o Brasil.
Foi o grande incentivador e um dos idealizadores da região confeccionista de Monte Sião (MG). Fundou a LANOFIX DO BRASIL S/A.
  A primeira professora de tricô do Brasil era italiana. Recém casada com Antonio Pieroni, fez seu aprendizado ainda durante a lua-de-mel, em Milão, na fábrica Fratelli Negri.

Entusiasta e incentivadora, foi, com o marido, a grande responsável pelo desenvolvimento da atividade, no Brasil.

Ao final dos anos 60, a LANOFIX DO BRASIL S/A, fundada e dirigida por
Antonio Pieroni, era uma empresa renomada; a fábrica situava-se em
Santo André (SP)
Capa do Manual de Instruções da Lanofix Minitex de Luxe, publicado Em 1957

 

Texto acima (para facilitar a leitura):

 

Ficou amplamente comprovado que a máquina de tricôt familiar
é um dos aparelhos mais úteis à economia doméstica e de
mais rápida amortização - bem como que centenas de milhares
de clientes, espalhados em todos os paises do mundo, dão
preferência às máquinas fabricadas pela afamada firma "FRATELLI
NEGRI - LANOFIX - MILANO, ITÁLIA", primeira indústria do gênero,
cuja máquina, "LANOFIX", tornou-se a mais vendida no mundo.

 

A "Introdução" do Manual de Instruções da Minitex (Primeira
máquina de tricô fabricada pela Lanofix), dá conta da origem
(Milão, Itália) e do fabricante (Fratelli Negri).
Década de 50: A família, unida, incentivou, ajudou e participou de todos os momentos e eventos.

Maria Clara Rossi Pieroni criava os modelos e receitas; aqui a filha Maria Gabriela mostra uma dessas criações.

topo topo